> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Café Cultural
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Segunda-Feira , 20 de Outubro de 2014
>> Leitura e Literatura
   
 
A Importância da Leitura na Sociedade Contemporânea e o Papel da Escola Nesse Contexto

Maria Thereza Fraga Rocco


Será que temos refletido suficientemente sobre as muitas indagações que se lançam no ar sobre a questão da leitura? Que análises temos feito das contribuições teóricas?
Apesar da complexidade desta tarefa e mesmo correndo o risco de cair em armadilhas, a autora considera importante se debruçar sobre o tema. Aborda, primeiramente, a questão da variação do significado e do papel do livro, da leitura e da escrita conforme as mudanças históricas, sociais, culturais e intelectuais. Em seguida, a partir de questões básicas como a concepção de leitura e de seu processo de produção, procura situar a leitura em nossa realidade social e escolar.

Clique aqui para ler o texto na íntegra. Para isso você precisa ter o programa Acrobat Reader. Para instalá-lo, clique aqui.

"O aperfeiçoamento da imagem, por exemplo, provocou inquietações e levou até mesmo a previsões catastróficas em relação ao futuro da leitura e do livro. Temia-se que a era de Gutemberg estivesse prestes a ser tragada pelo poder incomensurável das transmissões eletrônicas, do laser, dos satélites."

"Reclama-se sempre que a criança e o jovem não lêem e não gostam de ler. Afirmações peremptórias como essas, gratuitas e, no mais das vezes, maldiscutidas transformam-se em preconceito cristalizado que vai penetrando acriticamente em pessoas e grupos, acabando por se transformar em dogma. E uma vez o dogma absorvido, muito mais difícil se torna reverter situações indesejadas."

"A criança, o jovem que estuda - e também o adulto - , todos gostam de ler e lêem razoavelmente. Mas, salvo exceções, não suportam ler na escola, já que os textos que lhes são propostos quase nunca despertam, mesmo sendo textos considerados clássicos, o necessário prazer que deve presidir toda a atividade do leitor. Lêem mais por exigência de uma avaliação, muitas vezes, draconiana; lêem para poderem responder às questões pouco interessantes e unidirecionais dos livros didáticos e cujas respostas são exigidas e avaliadas pelo professor. Quase nunca a leitura vem ligada à satisfação. Quase nunca a leitura corre em um espaço socializado e aberto."

Publicação: Série Idéias n.13. São Paulo: FDE, 1994.
Páginas: 37-42

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





 Download do      arquivo

Clique aqui para baixar o Acrobat Reader