> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Domingo , 16 de Dezembro de 2018
>> Notícias
   
 
Casarão de dona Veridiana agora é do Iate Clube


O Estado de São Paulo - 31.03.08

Casarão de dona Veridiana agora é do Iate Clube de Santos

Imóvel em Higienópolis foi sede do tradicional Clube São Paulo, incorporado pelo novo dono

Valéria França e Pedro Venceslau

Depois de quase 50 anos de história, o tradicional Clube São Paulo, que já reuniu a nata da elite paulistana, fechou oficialmente na terça-feira. Em breve, quem passar na frente da antiga sede - o casarão na esquina da Rua Dona Veridiana com a Avenida Higienópolis, em Higienópolis - verá um mastro náutico, símbolo do Iate Clube de Santos, que já tomou posse do local. “Estamos voltando para casa”, diz Berardino Antônio Fanganiello, comodoro do Iate Clube de Santos. “Poucos sabem, mas o Iate nasceu nesta casa, em 4 de junho de 1947.”

O fundador foi Jorge da Silva Prado, grande empreendedor da década de 50, conhecido por ter transformado uma de suas fazendas, no Guarujá, em hotel, o famoso Jequitimar. “Naquela época, a família não tinha onde estacionar seus barcos. Por isso, numa reunião com amigos, criou o Iate Clube de Santos”, explica Fanganiello.

Jorge era bisneto de Veridiana da Silva Prado, filha do Barão de Iguape e personagem importante da história da sociedade paulistana. Foi ela que mandou construir em 1884 o palacete renascentista e o transformou num ponto de encontro de intelectuais e artistas.

Há vários registros históricos sobre a beleza da casa e um deles é de uma de suas ilustres freqüentadoras, a princesa Isabel: “Os jardins têm gramados dignos da Inglaterra, a casa domina tudo, há um lagozinho, plantações de rosas e cravos, lindos. Vim de lá encantada.”

Tombada em 2001 pelo Conselho do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo, o Conpresp, a propriedade tem 3.500 metros quadrados de área construída e 5 mil metros de jardins, onde há lagos de carpas e fontes. Há ainda muitas peças de arte, como uma escultura de Victor Brecheret, que ainda está na entrada da casa, um quadro de Almeida Júnior, que reina na biblioteca, além de muitos objetos trazidos da Europa por Veridiana, como porcelanas Sèvres e Limoges, cristais Laliques e móveis art nouveau, moda na época.

O Iate Clube de Santos incorporou o patrimônio - avaliado em R$ 12 milhões -, as dívidas e até mesmo os 172 sócios do Clube São Paulo. “Os antigos contribuintes têm a vantagem de continuar pagando o mesmo valor da mensalidade do Clube São Paulo, R$ 260, até o fim da vida”, diz Fanganiello. Os 580 sócios do Iate pagam mais, R$ 860. “Também poderão freqüentar as outras quatro sedes do clube (Angra dos Reis, Paraty, Ilhabela e Guarujá).” A negociação durou um ano.

O Clube São Paulo só passou a abrir a casa, alugando os salões para festas, em 2002. Nessa época, o número de sócios já havia caído pela metade - tinha apenas 567 contribuintes.

Inspirado nos congêneres londrinos, o clube era um lugar de reuniões de homens - mulheres entravam apenas em datas especiais -, interessados em conversar e beber uísque em confortáveis poltronas de couro. Não havia outro tipo de entretenimento, como piscina ou quadras esportivas. Seu formato não sobreviveu ao tempo. Nem a abertura de seus salões para festas resolveu os problemas financeiros da entidade - ao contrário, rendeu uma guerra com os moradores dos prédios vizinhos, que se incomodavam com o barulho das comemorações.

Obras de melhoria elétrica e hidráulica já começaram. A casa será pintada e o jardim, revitalizado. Há ainda um projeto de iluminação da área externa, que deve ser melhor aproveitada pelos novos donos. O Iate não fala em alugar a casa para festas. “Vamos abrir o espaço para palestras e leilões, ocasiões em que a casa fica aberta a todos”, diz Fanganiello.




http://www.estado.com.br/editorias/2008/03/31/cid-1.93.3.20080331.18.1.xml

Jornal O Estado de São Paulo

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader