> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa tarde
Sábado , 24 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Nobel alternativo: ecologia, pacifismo e ...


Folha Online - 13.10.09

Nobel "alternativo" premia ecologia, pacifismo e trabalho sanitário

da Folha Online

A fundação Right Livelihood Award outorgou nesta terça-feira o chamado "Nobel Alternativo" ao congolês René Ngongo, ao neozelandês Alyn Ware, à etíope Catherine Hamlin e ao canadense David Suzuki, que levou o prêmio honorário.

O júri reconheceu a luta pela proteção das florestas de Ngongo, o compromisso para promover a paz e contra as armas nucleares de Ware, o trabalho sanitário de Hamlin e a defesa do uso responsável da ciência de Suzuki.

Ngongo, Ware e Hamlin receberão 50 mil euros do prêmio, que distingue o trabalho social de pessoas e instituições de todo o mundo e é considerado um preliminar do Nobel da Paz.

A Ngongo foi reconhecida sua "coragem confrontando às forças que estão destruindo a selva do Congo (a segunda em tamanho do planeta) e construindo apoio político para sua conservação e uso sustentável", segundo a decisão.

Ngongo criou em 1994 a OCEAN, uma organização estendida por todo o Congo para impulsionar o reflorestamento e a exploração sustentável dos recursos através de campanhas, programas de rádio e televisão e trabalho de pressão em nível local, nacional e internacional.

O neozelandês Ware foi premiado por advogar "de forma efetiva e criativa e impulsionar iniciativas durante mais de duas décadas para promover a educação pacífica e livrar o mundo de armas nucleares".

Ware iniciou programas bem-sucedidos em escolas por toda Nova Zelândia, exerceu de conselheiro do governo neozelandês e da ONU em educação sobre desarmamento, fez parte ativa da campanha de proibição de armas nucleares em seu país e promoveu essas ideias em diferentes organismos e fóruns internacionais.

No caso de Catherine Hamlin, o júri quis premiar seu meio século "dedicado a tratar a pacientes com fístula obstétrica, restaurando deste modo a saúde, esperança e dignidade de milhares de mulheres africanas pobres".

De origem australiana, Hamlin chegou a Etiópia em 1959 para trabalhar como ginecologista e obstetra em um hospital de Adis-Abeba, onde impulsionou um tratamento pioneiro da fístula obstétrica.

Depois construiu um hospital para tratar de graça a mulheres, o começo de um projeto que se foi estendendo ao resto do país.

O prêmio "honorário" distinguiu a David Suzuki por sua "defesa da responsabilidade social do uso da ciência e sua contribuição em massa a estender o conhecimento dos perigos da mudança climática e impulsionar o apoio público às políticas que o reconhecem".

Através de seus livros e seus programas de televisão Suzuki alertou sobre os perigos da mudança climática, os riscos da biotecnologia e sobre os direitos das povoações indígenas em um trabalho de duas décadas de compromisso.

O "Nobel Alternativo", ou Right Livelihood Award (Prêmio ao Estilo de Vida Correto), foi adotado em 1980 pelo escritor e ex-eurodeputado sueco-alemão Jakob von Uexküll.

Ganhadores do prêmio "alternativo" obtiveram depois o Nobel da Paz, como é o caso da keniata Wangari Maathai, que ganhou o primeiro em 1984 e o segundo em 2004.

A cerimônia de entrega dos prêmios se realizará dia 4 de dezembro no Parlamento sueco.

Com Efe

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ambiente/ult10007u637143.shtml

EFE

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader