> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa tarde
Sábado , 24 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Adubação verde reduz efeito estufa e desmatamento


Portal do Governo do Estado de São Paulo - 27.10.09

Adubação verde reduz efeito estufa e desmatamento

Boletim da secretaria da Agricultura mostra as vantagens dessa técnica

A adubação verde, técnica que utiliza matéria orgânica gerada a partir do cultivo de plantas para adubar o solo, é uma excelente opção para o cultivo de variadas lavouras. Segundo boletim técnico lançado pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) em parceria com a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), órgãos ligados à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, as principais vantagens desse método são sequestro de carbono, redução de emissão de gases para a atmosfera, contribuição à redução do efeito estufa e do desmatamento.

A publicação "Adubação Verde no Estado de São Paulo" foi proposta pela Comissão Técnica de Agricultura Ecológica da Secretaria . Segundo os autores da publicação, a adubação verde foi incluída, a partir de 2000, em projetos específicos em microbacias hidrográficas, viabilizados pela Cati com recursos do Banco Mundial (Bird) e do Tesouro do Estado.

A técnica foi incentivada como estratégia de aumento da cobertura do solo, de controle do escoamento superficial, de proteção ao ambiente e de otimização da produtividade agrícola sustentável. Outra evolução constatada foi a utilização de mistura ou ´coquetel´ de gramíneas com leguminosas, para dar mais durabilidade do material orgânico no solo e liberação dos nutrientes de forma mais sincronizada para as plantas em sucessão.

Em 2005/2006, foi iniciado em São Paulo um convênio entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), IAC e a Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola (Fundag). O trabalho é executado em pólos regionais para a produção orgânica de sementes de plantas utilizadas no adubo verde que seriam distribuídas aos agricultores em todo o País.

Os técnicos da Apta e da Cati esperam que a utilização constante desse tipo de adubação mantenha elevada produtividade por unidade de área, com consequentes melhorias no ambiente e na qualidade de vida. Outros resultados esperados são manutenção e valorização dos empregos no meio rural, contribuição efetiva na otimização do retorno econômico ao agricultor e garantia da sustentabilidade e da biodiversidade na propriedade agrícola.

Outras vantagens da adubação verde para o agricultor são a otimização da produtividade e do lucro na propriedade; preservação e conservação dos recursos naturais e da biodiversidade; proteção, recuperação e manutenção dos solos cultivados; ciclagem dos nutrientes, adição de nitrogênio pelas leguminosas e manutenção da matéria orgânica do solo; aproveitamento mais adequado e racional dos insumos; utilização de algumas espécies na alimentação humana e animal; efeitos de quebra-ventos ou de arborização em culturas perenes em formação; utilização como possíveis fontes energéticas renováveis, como de biodiesel, possibilitando a redução de pressão por novas áreas de produção; e utilização no controle de nematóides do solo e de plantas daninhas.

Da Secretaria de Agricultura e Abastecimento

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=205610&c=6&q=Adubação+verde+reduz+efeito+estufa+e+desmatamento

Secretaria da Agricultura

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader