> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Quarta-Feira , 05 de Outubro de 2022
>> Notícias
   
 
Prova de matemática da Unesp surpreende alunos


jt.com.br - 09.11.09

Prova de matemática da Unesp surpreende alunos


Conteúdos exigidos eram muito específicos para o dia de conhecimentos gerais, segundo professor


Com provas de matemática e física mais difíceis, a primeira fase do vestibular da Universidade Estadual Paulista (Unesp), ontem, apresentou um formato novo, mas com a maior parte do conteúdo semelhante ao exigido nas edições anteriores, na análise de professores ouvidos pelo JT. O resultado desta fase sai no dia 30.

Veja o gabarito e mais informações


Os 76 mil inscritos disputam 6.394 vagas em 153 opções de curso. Dos candidatos, 5.012 (6,6%) não compareceram aos locais de prova. A segunda fase, com 36 questões dissertativas e uma redação, será aplicada nos dias 20 e 21 de dezembro. O resultado final será divulgado no dia 29 de janeiro.

A universidade traz vestibular em duas fases pela primeira vez. O grau de dificuldade de matemática surpreendeu. “Foi muito difícil”, analisou o coordenador de matemática do Objetivo, Giuseppe Nobilioni. “Por ser um dia de conhecimentos gerais, a prova é descabida. É feita para todos os alunos, mas foram pedidas coisas específicas, como raiz de um número complexo, questão sobre elipse, que raramente aparece.”

Segundo ele, as questões 88 e 89 de matemática sugerem a resolução de uma equação com base em dados que não chegam ao resultado. “O aluno poderia resolver, mas só se ele não seguisse as orientações da prova.”

Os vestibulandos também reclamaram. “Tinha muitos gráficos e a única questão que eu tinha acertado eu passei errado para o gabarito”, lamentou Eduarda Ribeiro Monteiro, de 18 anos, candidata a uma vaga em Direito. Para ela, os textos também estavam maiores do que o esperado.

“Português manteve a tradição de ser interpretativa, mais fácil que anos anteriores, quando era apenas escrita. A novidade foram as questões interdisciplinares, no estilo do Enem”, analisa Nelson Dutra, professor de português do Objetivo.

Robson Santiago da Silva, professor de história do Objetivo, considera que as questões foram de bom nível. “Foi sem pegadinha, com bom conteúdo”, disse. Cristina Armaganijan, professora de inglês também do Objetivo, afirmou que o exame exigiu apenas interpretação de texto. “A Unesp manteve suas características.”

Física e química também surpreenderam os vestibulandos. Gabriela Mobiglia, de 17 anos, que prestou para fisioterapia, lamentou as dificuldades. Estudante de escola pública, ela torce para que a nota do Enem seja usada para conseguir chegar à segunda fase. Danilo Queiroz, de 23, tenta Ciências Sociais. Mesmo estudando por conta, em casa, acredita que irá para a segunda fase.

http://txt.jt.com.br/editorias/2009/11/09/ger-1.94.4.20091109.16.1.xml

Jornal da Tarde

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader