> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa noite
Domingo , 25 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Prova do Enem deverá ser fácil


Jornal da Tarde - 04.12.09

Prova do Enem deve ser fácil

A partir de análise da prova vazada à imprensa, professores preveem que nível não vai ser elevado

Paulo Saldana e Elida Oliveira

Os 4,1 milhões de estudantes que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste fim de semana devem encontrar uma prova de nível fácil a médio. A conclusão foi tirada após a correção, por meio da Teoria da Resposta ao Item (TRI), do exame cancelado em outubro e aplicado a 15 mil alunos de escolas públicas.

Constatou-se que nenhuma das 180 questões da prova vazada é considerada muito difícil. Em uma escala que vai de -4 (mais fácil) a 4 (difícil), a que mais se aproximou do alto da classificação foi uma questão de Matemática, com pontuação de 1,56. Especialistas dizem que o padrão de dificuldade deve se repetir neste fim de semana. Isso porque a nova prova será formulada a partir de um banco de 1,8 mil questões pré-testadas, de onde também saiu a prova anterior.

Se o prenúncio de uma prova fácil pode tranquilizar os estudantes, a característica pode trazer outros problemas, como dificultar sua utilização como vestibular - status que o Enem adquiriu este ano para mais de 25 universidades federais. “Nas carreiras de grande competição, como nas federais, era importante que houvesse questões com grau de dificuldade mais alto, para diferenciar concorrentes bem preparados”, explica o coordenador pedagógico do COC, Arnaldo William Pinto. “Isso é um alto risco para usar a prova como vestibular.”

O professor do Instituto de Matemática da USP Antonio Luiz Pereira também condena a baixa exigência do exame. Ele concorda que há o risco de a escolha entre os candidatos bem preparados ser “quase aleatória”. “Nos cursos mais disputados, pode existir uma distorção.”

A área de Matemática e suas Tecnologias apresentou 8 questões difíceis, o maior índice entre áreas que compõem a prova. No total, há 14 questões difíceis, que representa apenas 7,78% da prova. A maioria está entre as médias, 63,33%, e fáceis, 25%.

De acordo com a correção do COC, a mais fácil foi a questão 3 (-2,67), de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Seu enunciado informava que a maioria das declarações de imposto de renda é realizada pela internet e, ao fim, pergunta o que isso visa oferecer. O linguista Sírio Possenti, da Unicamp, critica não só a questão, mas toda a área de linguagens. 'A prova é desigual, tem formulação de alternativas imprecisa, mesmo que cubra vários temas. Nessa questão específica, não fica claro o que avaliaria no aluno', afirma Possenti, que analisou a prova.

http://txt.jt.com.br/editorias/2009/12/04/ger-1.94.4.20091204.21.1.xml

Jornal da Tarde

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader