> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Sexta-Feira , 07 de Outubro de 2022
>> Notícias
   
 
A importância de economizar água


Jornal da Tarde - 15.12.09

A importância de economizar água

Diretor-Geral da Itron na América Latina

Samuel Lee

Com a chegada do verão e das férias, uma boa parcela da população brasileira opta por aproveitar o merecido descanso no litoral. Por seguinte, dirigirem-se para seus apartamentos e casas, que muitas vezes são mais utilizados em períodos específicos do ano. A consequência natural é a elevação do consumo de água e o aumento da conta. Isso porque a maioria dos condomínios ainda possui o antigo sistema de medição em que o edifício tem apenas um medidor de água e o valor da conta é repartido pelo número de apartamentos, não importando se lá moram uma ou seis pessoas.

Nas cidades turísticas essa cobrança é ainda mais injusta em razão da alta rotatividade que existe nos apartamentos em época de férias e feriados. Por exemplo, se uma família possui apartamento na praia e não foi viajar nas férias, mas os outros apartamentos foram ocupados e utilizaram água, aquela família, mesmo assim, teria que dividir a conta com aqueles que a consumiram. Mas agora essa realidade está mudando por causa da crescente adoção do sistema de medição individualizada de água por parte dos condomínios.

O sistema de medição individualizada possibilita que cada apartamento passe a ter um hidrômetro próprio, fazendo com que as pessoas paguem exatamente pelo que elas utilizaram. Dessa forma, o volume de água medido pelo hidrômetro indicará de forma individual e não mais coletiva, evitando dessa forma o famoso “rateio”, tão injusto nos tempos de crise ou de bonança.

Nos prédios onde essa solução foi implantada, houve uma economia imediata de 20%, podendo, em alguns casos, chegar a 40% já nos primeiros meses de adoção. Além de ser uma maneira mais justa de pagar pelo seu uso, também faz com que as pessoas economizem e passem a utilizar esse recurso com mais responsabilidade. Afinal, de que adianta eu economizar água se meu vizinho não fizer o mesmo?

A redução no bolso do consumidor é uma boa motivação para o uso racional desse recurso, mas ainda tem um problema muito maior. O consumo médio de água nas capitais brasileiras é de 150 litros/habitante ao dia, enquanto a Organização das Nações Unidas (ONU) recomenda que esse consumo seja de apenas 110 litros. É preciso que todos se conscientizem de que a água não é infinita e, se não utilizada corretamente, um dia vai acabar. Segundo dados do International Water Management Institute, 1,8 bilhão de pessoas viverão sem nenhuma gota de água até 2025 se continuar dessa maneira.

Essa realidade é atual e, portanto, urge ações de forma individual e coletiva para a preservação e sustentabilidade para conservar o meio ambiente e garantir um futuro com água não só para as futuras gerações, mas para nós mesmos.

http://txt.jt.com.br/editorias/2009/12/15/opi-1.94.8.20091215.2.1.xml

Jornal da Tarde

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader