> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa noite
Sábado , 24 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Cinco municípios concentravam quase 25% da riqueza


g1.com.br - 16.12.09

Cinco municípios concentravam quase 25% da riqueza do país em 2007, diz IBGE

Com maior participação, São Paulo respondia por 12% do PIB nacional.

Cinco municípios com menor PIB do país estavam na região Nordeste.

Do G1, em São Paulo

A renda gerada por apenas cinco municípios representava quase 25% de todas as riquezas do país em 2007, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta quarta-feira (16). Esses mesmos municípios concentravam 12,8% da população brasileira no mesmo ano.

Com a maior participação, apenas São Paulo concentrava 12% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional em 2007. As demais participações entre as cinco maiores eram de Rio de Janeiro (5,2%), Brasília (3,8%), Belo Horizonte (1,4%) e Curitiba (1,4%).

Na série divulgada pelo IBGE, que começa em 2003, as primeiras três posições não sofreram alterações desde aquele ano. Em 2003 e 2005, no entanto, Belo Horizonte e Curitiba trocaram de lugar, com a capital paranaense tomando a quarta posição entre os maiores PIBs municipais.


Na outra ponta do ranking, os cinco municípios com menor PIB do país estavam na região Nordeste, quatro deles no Piauí: Olho D'Água do Piauí (Piauí), São Luis do Piauí (Piauí), Areia de Baraúnas (Paraíba), São Miguel da Baixa Grande (Piauí) e Santo Antônio dos Milagres (Piauí). Juntos, esses municípios concentravam aproximadamente 0,001% do total do PIB nacional.

Segundo o IBGE, 10% dos municípios com maior PIB geraram 24 vezes mais renda que os 50% dos municípios com menor PIB.



De 2006 a 2007, os maiores ganhos de posição no ranking das maiores participações no PIB foram obtidos por Alto Horizonte (GO, da 4.444ª posição para a 823ª), Albertina (MG, de 4.489ª para 2.141ª), Cairu (BA, de 3.030ª para 715ª), São José do Povo (MT, de 4.683ª para 2.770ª) e Queiroz (SP, de 3.841ª para 2.286ª).



Regiões

O PIB dos municípios aponta forte concentração da renda em várias regiões. No Norte, sete municípios de maior PIB agregavam 50% do total de riquezas da região; no Nordeste, eram 21 municípios para atingir metade do PIB; na região Sudeste, 13; e na região Sul, 27 cidades. Apenas Brasília agregava 42,4% do PIB do Centro-Oeste.



Na maioria dos estados das regiões Norte e Nordeste, os cinco maiores municípios concentravam mais do que 50% do PIB estadual. As exceções foram os estados de Tocantins e da Bahia, com 46% e 46,9%, respectivamente.

A concentração era mais acentuada no Amazonas, onde os cinco maiores municípios respondiam por 87,7% da renda estadual, seguido pelo estado do Amapá, com 87,6%.

PIB per capita

Segundo o IBGE, os maiores PIBs per capita (divisão do PIB do município pela população) do país em 2007 foram registrados em cidades com baixa densidade demográfica. O maior deles, de R$ 239 mil, foi verificado em São Francisco do Conde (BA), cidade com cerca de 30 mil habitantes, mas que abrigava a segunda maior refinaria do país.



"É relevante salientar que nem toda a renda gerada pela produção no município é apropriada pela população residente. A geração da renda e o consumo não são necessariamente realizados em um mesmo município", aponta o IBGE em nota do instituto.



Em segundo lugar, Louveira (SP) apresentou um forte crescimento nas atividades de transporte e comércio e serviços. A maior hidrelétrica mineira garantia a terceira posição a Araporã, enquanto o quarto lugar pertencia ao polo petroquímico de Triunfo (RS).

Na quinta posição, Confins (MG) era o 1.072º município do ranking em 2003, mas ganhou posições com a transferência para a cidade da maior parte dos voos internacionais que chegavam a Belo Horizonte.

http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL1415978-9356,00.html

g1.com.br

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader