> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Sábado , 01 de Outubro de 2022
>> Notícias
   
 
Tamanho da população humana há 1,2 milhão de anos


Folha Online - 26.01.10

Mundo tinha 18,5 mil pessoas há 1,2 milhão de anos, dizem geneticistas


NICHOLAS WADE
do The New York Times

Analisando o DNA completo de apenas dois indivíduos, geneticistas calcularam o tamanho da população humana há 1,2 milhão de anos, da qual todas as pessoas no mundo descendem.

Eles estimaram o número em 18.500, mas isso se refere apenas àqueles em condição de reprodução, a população "efetiva". A população real pode ter sido cerca de três vezes maior, ou de até 55.500.

Estimativas similares para outros primatas da época correspondem a 21 mil chimpanzés e 25 mil gorilas. Em termos biológicos, ao que parece, os humanos não eram uma espécie tão soberana na África, e a estratégia evolutiva de investir em cérebros maiores do que os colegas primatas ainda não trazia grande recompensa.

A população humana só atingiu níveis altos após o advento da agricultura, muito mais tarde.

Geneticistas há muito tempo sabem que ancestrais dos humanos modernos correspondiam a apenas 10 mil indivíduos, que viveram em alguma época nos últimos 100 mil anos.

O número extremamente baixo sugere que alguma catástrofe --como doença ou mudança climática induzida por um vulcão-- tenha levado os humanos à beira da extinção.

No entanto, se a nova estimativa estiver correta, o tamanho da população humana tem sido pequeno e razoavelmente constante ao longo da maior parte dos últimos milhões de anos, excluindo-se a necessidade de buscar uma catástrofe como justificativa.

A nova estimativa, calculada por geneticistas populacionais da Universidade de Utah liderados por Chad Huff e Lynn Jorde, sugere isso.

A população humana de um milhão de anos atrás era representada por espécies arcaicas, como o Homo ergaster, na África, e o Homo erectus, no leste da Ásia.

Os cientistas dizem que sua estimativa de 18.500 indivíduos habitando a Terra é "uma população estranhamente pequena para uma espécie distribuída por todo o Velho Mundo", o que é incomum.

No entanto, a estimativa dos cientistas de Utah só se aplica à população mundial de humanos se tiver havido cruzamento entre membros das populações nos diferentes continentes.

Caso contrário --se os humanos modernos são descendentes de apenas uma dessas populações, como o Homo ergaster da África-- então a estimativa se aplicaria apenas à população isolada da qual descendemos.

Richard Klein, paleoantropólogo da Universidade de Stanford, disse ser difícil acreditar que a população ancestral dos humanos modernos fosse tão pequena quanto 18.500 pessoas, "a não ser que eles estivessem geograficamente restritos à África ou a uma pequena parte do continente".

Tradução de GABRIELA D'AVILA

http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u684654.shtml

The New York Times

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader