> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Quarta-Feira , 28 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Novo hominídeo é descoberto na África do Sul


uol.com.br - 08.04.10

Novo hominídeo é descoberto na África do Sul


Cientistas anunciaram nesta quinta-feira (8/04/2010) ter encontrado os ossos de uma nova espécie de hominídeo, que teria vivido há 2 milhões de anos. A descoberta foi feita por um garoto de nove anos chamado Matthew Berger, filho de um paleontologista, ao sair atrás do seu cão em um gramado na África do Sul. As informações são do jornal The New York Times.

O fóssil encontrado era de um garoto. No local, uma equipe do Instituto para Evolução Humana da Universidade de Witwatersrand, em Johannesburgo, encontrou um crânio muito bem preservado, além de esqueletos de três outros indivíduos. Crianças africanas vão participar de um concurso para batizar o menino cujo primeiro esqueleto foi encontrado.

Estudo sobre a descoberta foi publicado nesta sexta-feira na revista "Science". Nele, o cientista Lee R. Berger, pai de Matthew, explica que os fósseis encontrados são uma mistura de anatomias primitivas e avançadas. A nova espécie de hominídeo foi chamada de Australopithecus sediba.

A espécie possuía pernas longas, com quadris parecidos aos do homem moderno, mas subia em árvores. O Australopithecus sediba também tinha dentes pequenos e uma face parecida com a dos Homo, mas pés e cérebro reduzido, características mais próximas dos Australopithecus.

Geólogos estimam que esses indivíduos viveram entre 1,78 e 1,95 milhões de anos, período em que Homo e Australopithecus foram contemporâneos.

Berger acredita que a nova espécie descendia do Australopithecus africanus e foi um ancestral do Homo erectus.

http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/2010/04/08/novo-hominideo-e-descoberto-na-africa-do-sul.jhtm

revista Science

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader