> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Sábado , 01 de Outubro de 2022
>> Notícias
   
 
Relatório revela panorama da situação ambiental


Portal do Governo do Estado de São Paulo - 15.04.10

Relatório revela panorama da situação ambiental no estado

Além de diagnósticos, gráficos e tabelas, documento disponível na internet apresenta análises críticas de especialistas

Revelar o retrato ambiental de São Paulo, por meio da consolidação das informações correspondentes em um único documento, de forma estratégica. Essa foi a proposta que embasou a elaboração do recém-divulgado Relatório de Qualidade Ambiental (RQA) 2010 pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente (SMA).

O documento apresenta a evolução da qualidade ambiental dos recursos hídricos, do solo, uso do solo, ar, recursos pesqueiros, biodiversidade, saneamento ambiental e saúde ambiental, em resultados concretos. Iniciativa conjunta com o Núcleo de Economia Socioambiental da Universidade de São Paulo (Nesa-SP), o documento dá continuidade a uma série de relatórios iniciados em 2003, com informações sobre a área. Os dados são apresentados em meio eletrônico, organizados num banco, e num conjunto de textos descritivos sobre cada um dos temas.

Agora, o RQA inclui, pela primeira vez, textos analíticos elaborados pela equipe do Nesa/USP. Segundo o coordenador de planejamento ambiental da SMA, Casemiro Tércio Carvalho, o objetivo da publicação é fornecer aos tomadores de decisão informações pertinentes, atentando para a necessidade da elaboração de planos de ação em áreas críticas, que necessitam atingir níveis de qualidade ambiental melhores. "Não é só um relatório com tabelas e dados, mas também uma análise crítica", avalia Carvalho.

Saúde e ambiente

Na primeira parte do RQA são apresentadas a caracterização das Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos (UGRHIs) e a definição do potencial de cada uma. De acordo com o trabalho, possuem viés de conservação as bacias hidrográficas da Mantiqueira, do Litoral Norte, Ribeira de Iguape/Litoral Sul e do Alto Paranapanema. As UGRHIs Paraíba do Sul, Piracicaba/Capivari/Jundiaí, Alto Tietê, Baixada Santista e Sorocaba/Médio Tietê revelam perfil industrial, e as do Pardo, Sapucaí/Grande, Mogi Guaçu, Baixo Pardo/Grande e Tietê/Jacaré são caracterizadas como áreas de industrialização.

Por fim, enquadradas no aspecto agropecuário, aparecem as bacias do Turvo/Grande, Tietê/Batalha, Médio Paranapanema, São José dos Dourados, Baixo Tietê, Aguapeí, Peixe e Pontal do Paranapanema.

Na segunda parte, o relatório contempla o diagnóstico dos recursos hídricos, da qualidade do ar, biodiversidade, recursos pesqueiros, qualidade do solo e seu uso e ocupação, saneamento ambiental e a relação entre saúde e meio ambiente. Conforme dados, das 22 UGRHIs oito demandam mais da metade da água que possuem, o que coloca as bacias numa situação crítica de suprimento.

Um dos destaques do trabalho é a interface entre saúde e meio ambiente. "Historicamente, a saúde não era abordada na agenda ambiental. Isso é uma inovação desse relatório", ressaltou Carvalho. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), para cada US$ 1 investido na área ambiental, economizam-se US$ 5 na saúde. Segundo a publicação, a poluição atmosférica provoca ou agrava os sintomas de doenças respiratórias, cardiovasculares e neoplasias, sendo estas as principais causas de morte nos grandes centros urbanos.

Sociedade

O capítulo final traz outra inovação. O RQA apresenta também cinco artigos escritos por profissionais do Nesa /USP. Os temas abordados remetem à descarbonização da economia, às políticas públicas e à qualidade ambiental, à matriz energética, e aos avanços do etanol e desafios da macrometrópole. Ricardo Abramovay, que assina alguns dos artigos, enfatizou que as opiniões foram discutidas com os técnicos que participaram da elaboração do relatório.

"Não se trata de adotar uma posição preto no branco, mas de chamar a atenção para os problemas aos quais a sociedade tem de estar atenta. O meio ambiente não é um problema de governo, mas da sociedade", concluiu.

O documento é complementar a outras publicações, como o Painel de Qualidade Ambiental, que aborda os dados técnicos em linguagem mais simples para o público em

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=209202&c=6&q=Relatório+revela+panorama+da+situação+ambiental+no+estado+

Agência Imprensa Oficial

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader