> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa noite
Sábado , 24 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Investir na educação de meninas é crucial


www.envolverde.com.br - 21.05.10

Investir na educação de meninas é crucial para a sociedade

Por Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York*


Especialistas em educação e representantes de governos, da sociedade civil e do setor privado discutiram meios para evitar que 56 milhões de crianças, particularmente meninas, fiquem fora do sistema de ensino até 2015; conferência patrocinada pela ONU foi realizada em Dacar.

Investir na educação das meninas é crucial não só para elas mas para a sociedade como um todo, um investimento que produz sociedades melhores e mais equitativas.

Esta é a mensagem central saída da conferência de Dacar sobre formas de reduzir a desigualdade de gênero no acesso à educação.

Agentes de Mudança

Durante quatro dias, especialistas em educação e representantes de governos, da sociedade civil e do setor privado discutiram meios para evitar que 56 milhões de crianças, particularmente meninas, fiquem fora do sistema de ensino até 2015.

A reunião na capital senegalesa, que terminou nesta quinta-feira, marcou o 10º aniversário da criação da Iniciativa da ONU para a Educação de Meninas, Ungei na sigla em inglês.

Mais de 2/3 das crianças que não frequentam a escola atualmente vivem na África Subsaariana e sul e oeste da Ásia.

O professor de Sociologia da Educação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Luis Armando Gandin, que participou da conferência, disse à Rádio ONU, de Dacar, que hoje no Brasil existem mais meninas do que meninos nas escolas.

Meninas

"No caso do Brasil o que acontece é que muitos meninos estão expostos à violência urbana de uma forma mais forte do que as meninas. O envolvimento em gangues ou em locais onde há tráfico de drogas e, portanto, eles tem uma pressão para sair da escola", afirmou.

De acordo com Ganvin, mesmo com a paridade, o Brasil não tem transferido a maior participação de meninas na escola para a sociedade civil. Segundo dados da ONU, serão necessários US$ 16 bilhões, quase R$ 30 bilhões por ano para alcançar a meta de educação primária universal até 2015.

*Apresentação: Daniela Traldi, da Rádio ONU, em Nova York.

Para ouvir esta notícia clique em: http://downloads.unmultimedia.org/radio/pt/real/2010/10052012i.rm ou acesse: http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/detail/180301.html




(Envolverde/Rádio ONU)

http://www.envolverde.com.br/materia.php?cod=74895&edt=8

Rádio ONU em Nova York

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader