> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Terça-Feira , 27 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Casa das Rosas: programação do centenário de Pagu


www.fundacaobunge.com.br

Casa das Rosas dedica programação ao centenário de Pagu


O ano de 2010 marca o centenário de nascimento de uma das mulheres mais revolucionárias e vanguardistas da história do Brasil: Patrícia Rehder Galvão, mais conhecida pelo seu pseudônimo, Pagu.

Para homenageá-la, a Casa das Rosas – Espaço Haroldo Campos de Poesia e Literatura apresenta, durante os meses de junho e julho, uma programação dedicada a história, obra e pensamento dessa poeta, intelectual, militante política e jornalista.

Na programação, destaca-se a exposição Viva Pagu, em parceria com a Universidade Santa Cecília, de Santos, que vai de 1º de julho a 08 de agosto. Durante a abertura da exposição, aconteceu o coquetel de lançamento do livro Viva Pagu – Fotobiografia de Patrícia Galvão, de Lúcia Maria Teixeira Furlani e Geraldo Galvão Ferraz, filho de Pagu.

Outras atividades programadas pela Casa das Rosas incluem o espetáculo Angu de Pagu (sábados, 24 e 31 de julho, às 20h), que conta a história de diversas “Pagus” em seis momentos marcantes de sua vida, além de oficinas, debates, espetáculos e releituras das múltiplas facetas de Patrícia Galvão.

Uma mulher à frente de seu tempo

Nascida em 09 de junho de 1910, Pagu foi uma jornalista e escritora cheia de atitude e à frente de seu tempo. Aos 18 anos, já integrava o movimento antropofágico, de cunho modernista, sob a influência de Oswald de Andrade e Tarsila do Amaral. Foi casada de 1930 a 1935 com Oswald de Andrade, com quem tornou-se militante do Partido Comunista.

Pagu foi presa por mais de 20 vezes e chegou a ser torturada pelas forças da Ditadura Militar. Rompeu com o Partido Comunista em 1940 e passou a defender um socialismo de linha trotskista. Em 1941, casou-se com Geraldo Ferraz, com quem integrou a redação de A Vanguarda Socialista. Pagu ainda frequentou a Escola de Arte Dramática de São Paulo, foi crítica de arte e diretora de teatro.

Patrícia Galvão faleceu em 12 de dezembro de 1962, vítima de um câncer, aos 52 anos de idade e mãe de dois filhos: Rudá de Andrade e Geraldo Galvão Ferraz.

Para conhecer mais sobre Pagu e conferir a agenda de atividades de seu centenário, acesse www.pagu.com.br


Serviço
Programação Casa das Rosas: 100 anos de Pagu
Data: junho e julho de 2010
Local: Av. Paulista, 37, Bela Vista, São Paulo – SP
Programação completa (Casa das Rosas): www.poiesis.org.br

Nuvem de TagsConhecimento Comunidade Cidadania Educação Ecodesenvolvimento Biodiversidade Desenvolvimento Sustentável Ecoeficiência Memória Memória Empresarial Investimento Social Privado Sustentabilidade Educação ambiental Preservação da memória Incentivo à excelência Aquecimento global Meio Ambiente Cidadania Empresarial Responsabilidade social Participação popular Políticas públicas Socioambiental Colaboração Diversidade Comunidade escolar Socioambiental
Preservação da Memória
Incentivo à Excelência e ao Conhecimento Sustentável
Você & Fundação Bunge
Na Web
Blog
Fórum
Galerias
Vídeos
Podcasts
Acervo
Av. Maria Coelho Aguiar, 215 - Bloco D - 5º andar - CEP 0

http://www.fundacaobunge.org.br/novidades/novidade.php?id=4890&/casa_das_rosas_dedica_programacao_ao_centenario_de_pagu

Casa das Rosas

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader