> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa tarde
Sexta-Feira , 07 de Outubro de 2022
>> Notícias
   
 
Opinião: O papel do professor na era da Internet


www.envolverde.com.br - 10.08.10

Com Internet, professor deve ter papel de orientador, diz CNE

Por Sarah Fernades, do Aprendiz


Utilizar a Internet na sala de aula ajudaria os alunos a pesquisarem e daria aos professores a função de orientá-los sobre a melhor forma de usar as informações. A avaliação é do membro do Conselho Nacional de Educação (CNE), Mozart Neves Ramos, que abriu o Fórum Microsoft de Educação Inovadora, realizado nesta semana, em São Paulo (SP).

“O professor deve ser um tutor, responsável por qualificar a informação, mostrar os caminhos para pesquisa e apontar a melhor forma de aplicar aquele conhecimento”, explica Mozart, que também é membro do conselho do Todos pela Educação. “A tecnologia pode dar conta da demanda por dinamicidade na educação. A juventude interpreta o mundo de outra maneira. Eles não querem mais aulas tão lineares”.

“É uma questão de tempo até que a Internet banda larga alcance mais pessoas no Brasil”, avalia o conselheiro. “Se olharmos há 10 anos vemos que não tínhamos quase nada [dos acessos] que temos hoje. Vejo um futuro promissor na equidade de banda larga”.

Mozart ressalta, ainda, que a Internet pode ajudar professores a se manterem atualizados. “Tanto o professor de uma região isolada, que não tem como se locomover, como os que não têm tempo, podem fazer cursos de especialização pela Internet”, avalia.

É o caso dos programas do Instituto Anísio Teixeira, da Bahia, e da Escola de Formação de Professores, de São Paulo, que foram apresentados durante o evento. “Temos um problema de articular medidas e políticas para melhorar a qualidade. A educação a distância é um caminho para lidar com o gigantismo da Secretaria de Educação de São Paulo”, avalia a coordenadora da escola paulista, Vera Lúcia Cabral.

Na Bahia, a dificuldade é trocar informações entre as escolas, segundo Norma Gonzaga, diretora de educação a distância e tecnologias educacionais do Instituto Anísio Teixeira. “Por isso, criamos a TV Anísio Teixeira, que exibe conteúdo sobre as aulas e sobre projetos”, conta. Os programas são veiculados no site da iniciativa e na TV Educativa da Bahia.



(Envolverde/Aprendiz)



© Copyleft - É livre a reprodução exclusivamente para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída.


http://www.envolverde.com.br/materia.php?cod=79010&edt=8

Aprendiz

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader