> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa noite
Sábado , 24 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Estudo revela que ensino fundamental é decisivo


Envolverde- Revista Digital 01.10.10


Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Ensino e Pesquisa (ex-Ibmec-SP) revelou que as quatro primeiras séries do ensino fundamental são as mais decisivas para que os estudantes do ensino superior de um estado demonstrem melhor aproveitamento. Segundo o estudo, por apresentar maior potencial de melhorias, é o primeiro ciclo que deve merecer mais atenção por parte dos gestores ou do governo.
A pesquisa tem o objetivo de mostrar em que níveis da educação básica nos quais mais esforços devem ser concentrados para que a eficiência das instituições de ensino seja melhorada. A ideia foi medir o impacto que o ensino básico tem no superior, por região do país.
A Região Sul foi a que obteve o melhor resultado - portanto, é a que apresenta as instituições de ensino mais eficientes na relação entre o desempenho do ensino básico e a qualidade do ensino superior: 97,2% de aproveitamento. A Região Nordeste é a pior, com 64,9%. A Região Sudeste obteve 87,3%; a Centro-Oeste, 75,3%; e a Norte, 65,6%. A pesquisa considerou como premissa os alunos terem cursado o ensino básico e o superior no mesmo estado.
De acordo com reportagem do O Estado de S. Paulo, para chegar a essas conclusões, os pesquisadores fizeram cálculos estatísticos com dados das 27 unidades federativas. Foram utilizados dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) - que mede o fluxo escolar e apresenta médias de desempenho dos anos iniciais e finais do ensino fundamental e do ensino médio - e um produto representado pela média do Índice-Geral de Cursos da Instituição (IGC), o indicador de qualidade das instituições de ensino superior do Ministério da Educação (MEC).
Para Maria Cristina Gramani, uma das autoras do estudo, a Região Sul obteve a melhor posição porque seus estados têm redes menores e apresentam políticas educacionais mais consistentes.






http://www.envolverde.com.br/materia.php?cod=81645&edt=8

Por Redação Nota 10

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader