> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Quarta-Feira , 05 de Outubro de 2022
>> Notícias
   
 
Posto no metrô tira dúvidas de português


ESTADÃO.COM.BR 13.10.10

Desde a semana passada, a Estação Consolação do Metrô, na Avenida Paulista, região central de São Paulo, virou também um inusitado ponto de estudo. Entre uma viagem e outra, que tal tirar dúvidas de português e matemática na própria estação, sem nem precisar sair do metrô?

Numa sala de 50 metros quadrados, oito professores das duas disciplinas se revezam no serviço Tira-Dúvidas, instalado na Consolação no dia 30. "O local foi escolhido pelo movimento na estação e pelos vários cursinhos e faculdades que existem na área", explicou o secretário dos Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella.

Em uma semana, cerca de cem pessoas foram atendidas, gratuitamente, no local. "São estudantes de faculdade que precisam de reforço ou gente que tenta passar em concursos públicos ou no vestibular", disse o coordenador do programa, Júlio César da Silva, da Estácio/Uniradial, parceira do Metrô. "Também há quem aproveite para tirar dúvidas pontuais."

Foi o caso do advogado Danilo Akita, de 27 anos, que discutia há dias com um amigo se, afinal, se deve dizer "duzentos" gramas, ou "duzentas" gramas. "E não é que é "duzentos" mesmo?", disse, após consultar a professora. "Pior que eu estava errado."

Até o fim do ano, a Companhia quer implantar o serviço em outras três linhas do Metrô e da CPTM: Estação Santana ou Tucuruvi (Linha 1 - Azul), Tatuapé (Linha 3 - Vermelha) e Cidade Universitária, da CPTM. "Os espaços ainda estão sendo avaliados, mas esses são os pontos mais prováveis", adiantou Portella. Desde fevereiro, o serviço existe também na Estação Brás, na zona leste da capital.

"É engraçado dizer que "estudo" no metrô, mas é o que faço desde que começou o serviço", contou a bióloga Daniela Tatsukawa, de 22 anos, que tirava dúvidas de matemática na Consolação na tarde de ontem. "Faz parte do meu estudo para passar num concurso público. Vou continuar aqui até conseguir."





http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20101008/not_imp622117,0.php

Vitor Hugo Brandalise - O Estado de S.Paulo

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader