> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa tarde
Sábado , 01 de Outubro de 2022
>> Notícias
   
 
47% dos jovens conclui ensino médio na idade certa


www.envolverde.com.br - 30.11.10

Menos da metade dos jovens conclui ensino médio na idade correta, diz estudo

Por Sarah Fernandes, do Aprendiz

Apenas 47% dos jovens das seis principais regiões metropolitanas no país terminam o ensino médio na idade adequada, prevista entre 17 e 18 anos. O diagnóstico é de um estudo encomendado pelo Instituto Unibanco à Fundação Getúlio Vargas (FGV), que foi divulgado na última quinta-feira (25/11), em São Paulo (SP).

O abandono ou a repetência dos jovens começa antes do ensino médio: apenas 50% dos alunos do ensino fundamental concluem essa etapa na idade correta, segundo o levantamento, chamado “Os Determinantes do Fluxo Escolar entre o Ensino Fundamental e o Ensino Médio no Brasil”.

Dessa parcela, 83% se matriculam no primeiro ano do ensino médio na idade correta, 65% no segundo e 55% no terceiro. Destes, apenas 47% concluem o último ano no tempo esperado. A cada 100 alunos que terminam o ensino fundamental na idade correta, nove ficam fora da escola pelo menos uma vez durante o ensino médio.

“Manter o jovem estudando requer formular um currículo para o ensino médio, que antes de tudo seja interessante, que desenvolva as competências que ele precisa ter para continuar estudando ou entrar no mercado de trabalho”, sugere a superintendente do Instituto Unibanco, Wanda Engel.

O estudo utilizou informações da Pesquisa Mensal de Empregos (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2006 e 2009. Foram analisados dados de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Porto Alegre.

O número de jovens que frequentam a escola em idade correta cai entre um ano letivo e outro, segundo o estudo. Já entre os atrasados, a maior queda ocorre durante o ano. “Isso pode indicar uma migração para o EJA [Educação de Jovens e Adultos] entre os atrasados”, sugere o texto de apresentação do estudo.

Outra hipótese para o problema é o que a superintendente do Instituto Unibanco chama de “frequência ioiô”. “O jovem se matricula na escola para conseguir benefícios como carteira de estudante e vale transporte e com o passar do ano não frequenta as aulas. Aí repete e no ano seguinte se matricula de novo”.

A repetência não é um fator que impacta na redução das matrículas, segundo a pesquisa. Entre os aprovados, 97% se matriculam novamente e entre os não-aprovados, 94%.



(Envolverde/Aprendiz)



© Copyleft - É livre a reprodução exclusivamente para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída.


http://www.envolverde.com.br/materia.php?cod=84033&edt=8

aprendiz.uol.com.br

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader