> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa tarde
Sexta-Feira , 30 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Alfabetização até os 8 anos e desempenho escolar


www.envolverde.com.br - 15.12.10

Alfabetização de crianças até os 8 anos pode melhorar desempenho escolar

Por Amanda Cieglinski, da Agência Brasil


Brasília – A quinta meta do novo Plano Nacional de Educação (PNE) apresentado nesta quarta-feira (15) pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva estabelece que, até 2020, toda criança terá que ser alfabetizada até os 8 anos de idade. A medida, na avaliação dos especialistas, é fundamental para impedir o aumento do número de analfabetos no país.

“É uma questão estratégica para fechar a torneira do analfabetismo. Se a gente conseguir isso será um salto de aprendizagem muito grande. Terá um efeito bola de neve importante no desempenho do aluno até o fim do ensino fundamental e do médio”, avalia o conselheiro do movimento Todos pela Educação, Mozart Neves Ramos. A entidade definiu algumas metas que acompanha periodicamente e uma delas é alfabetização até os 8 anos de idade.

O projeto de lei do próximo PNE está organizado em 20 metas acompanhadas por estratégias para que se atinjam os objetivos delimitados. O plano reforça um parecer recentemente aprovado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) com a recomendação de que os três primeiros anos do ensino fundamental estejam organizados em um ciclo, sem que a criança possa ser reprovada. Afinal desse período, a alfabetização deverá estar garantido.

Outra estratégia indicada pelo plano é a criação de um exame específico para aferir a alfabetização das crianças. Atualmente, a Prova Brasil é aplicada apenas a partir do 5° ano do ensino fundamental. Uma versão do teste, a Provinha Brasil, já é feita por alunos de 8 anos, mas serve exclusivamente para uso do professor.

“Ela é um termômetro para o professor e tem sua importância como autoavaliação, mas, para que essas informações sobre a aprendizagem dos alunos cheguem ao gestor, isso precisa estar dentro de uma política pública da Secretaria de Educação para que a rede possa acompanhar o efeito das medidas que estão sendo adotadas”, afirma Mozart.

Segundo ele, muitos municípios e estados já criaram indicadores próprios para acompanhar a alfabetização das crianças até 8 anos de idade, com efeitos positivos na aprendizagem. Mas o ideal é que haja uma prova nacional, para que os resultados possam ser comparáveis e os dados, mais organizados.

Outra estratégia apontada pelo PNE é o apoio a alfabetização de crianças indígenas, com instrumentos próprios de acompanhamento que considerem também o uso da língua materna.

O presidente Lula encaminhará o projeto de lei ao Congresso Nacional que começará a discussão do texto na próxima legislatura. A previsão é que o novo PNE possa ser aprovado até o fim do primeiro semestre de 2011.

Edição: Juliana Andrade



(Envolverde/Agência Brasil)



© Copyleft - É livre a reprodução exclusivamente para fins não comerciais, desde que o autor e a fonte sejam citados e esta nota seja incluída.


http://www.envolverde.com.br/materia.php?cod=84826&edt=8

Agência Brasil

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader