> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Quarta-Feira , 28 de Setembro de 2022
>> Notícias
   
 
Matrículas de adultos caem 14% em 2010


www.clickpb.com.br - 22.12.10

Matrículas de adultos caem 14% em 2010

Jovens e adultos que não conseguiram terminar a escola estão sendo deixados para trás por Estados e municípios. Dados do Censo Escolar 2010, divulgados ontem pelo Ministério da Educação, mostram que a oferta de matrículas na Educação de Jovens e Adultos (EJA) caiu 14% com relação a 2009. O número de salas de aula que oferecem esse tipo de educação foi reduzido em 7%.

No total, o censo revelou a existência de 51,55 milhões de alunos nas escolas do País, a maior parte - 31,2 milhões - no ensino fundamental. De 2009 para cá, houve uma queda de 2% nas matrículas, o que corresponde a 1,03 milhão de estudantes a menos. A redução da oferta de EJA causou 35% da queda. "É um sintoma perigoso do sistema. Há uma demanda e estamos com dificuldade de resolver", disse André Lázaro, secretário de Educação Continuada do MEC.

Efeito perverso. Uma das explicações possíveis para o desinteresse em educar a população mais velha pode ser um efeito perverso do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Responsável por aumentar de forma exponencial os recursos para a educação, o Fundeb passou a remunerar os Estados e municípios por todas as matrículas, incluindo EJA, educação infantil, creches e ensino médio. No entanto, os recursos vão todos no mesmo bolo, sem rubricas específicas.

Se antes o MEC repassava R$ 250 por aluno/ano para a educação de jovens e adultos, hoje as prefeituras recebem R$ 1,7 mil por aluno/ano, mas não há a obrigatoriedade de investir um mínimo por nível de ensino. "Algumas salas foram passadas para o ensino médio. Outros municípios se concentraram na educação infantil. São áreas com muita demanda", explica Lázaro.

O censo mostra que as matrículas nas creches cresceram. O atendimento de 0 a 3 anos aumentou 9% em um ano. Na pré-escola houve queda de 3,6%, atribuída pelo MEC à implantação do fundamental de nove anos. O ensino médio teve um crescimento de 20,5 mil matrículas (0,2% em relação a 2009).

RETRATO


74,9% foi o crescimento da educação profissional entre 2002 e 2010

43,9 milhões de alunos estudam nas escolas públicas brasileiras

4,7% das escolas públicas do País oferecem horário integral aos estudantes


Estadão

http://www.clickpb.com.br/artigo.php?id=20101222094104&cat=educacao&keys=matriculas-adultos-caem

clickpb.com.br

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader