> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa noite
Terça-Feira , 21 de Novembro de 2017
>> Notícias
   
 
Leitura: Os livros na era da web


Educar para Crescer

Numa época de textos curtos e fragmentados, cheios de hiperlinks, como fica nossa relação com a leitura?


Em uma cena, Marylin Monroe, com uma expressão concentrada, retira um livro da prateleira. Em outra fotografia, Vinicius de Moraes posa com uma de suas antologias poéticas. Ambas as imagens fazem parte do blog O Silêncio dos Livros (osilenciodoslivros.blogspot.com), nome emprestado de um dos títulos do crítico francês George Steiner. Apesar de falar de livros, o espaço virtual não traz textos, apenas imagens variadas de pessoas lendo. São ilustrações, cenas de filmes e telas de pintura que fazem pensar na relação entre os leitores e os livros. Os personagens retratados transmitem enorme prazer com o livro; tanto que é como se eles estivessem, na verdade, ajudando a criar as histórias, junto com os autores. "Grande parte das imagens que conhecemos relacionadas com leitura são de um silêncio absoluto. Existe melhor silêncio que aquele que o leitor exige durante a leitura?", diz o português Hugo Miguel Costa, livreiro de profissão e criador do blog. A relação entre quem lê e os livros é uma relação íntima, silenciosa, cheia de carinho. Mas será que essa relação permanecerá a mesma, em uma época em que os computadores estão em toda parte, e as coisas que lemos são cada vez mais fragmentadas?

"Nos tempos que correm somos praticamente todos leitores, mas cada vez menos leitores de livros", afirma Costa. Lemos o tempo todo: e-mails, reportagens e artigos enviados por e-mail, frases e histórias contadas por amigos nas redes sociais, como Facebook e Twitter. Pulamos de um site a outro, seguindo os assuntos e chamadas que capturam nossa atenção, mesmo que apenas por alguns segundos. Mas será que toda essa atividade faz bem ou mal para nossos hábitos de leitura? A discussão não é gratuita: para um texto ganhar vida, ele precisa da interação com o leitor, e a forma como ele vai interagir com o texto vai alterar sua percepção do conteúdo. Quando lemos, lemos de um determinado lugar e em uma condição histórica. As palavras, sem ninguém para lê-las, não são grande coisa.

Essa forma de encarar a relação entre leitor e autor é nova na história. Na Idade Média, por exemplo, o documento manuscrito era considerado um padrão para o mundo. Não se admitia interpretação nem teorias, que eram produtos da imaginação do leitor. Com o tempo, isso mudou, e hoje a dinâmica da leitura, com a presença do leitor quase como um coautor, é o que dá vida ao texto. Esse diálogo agora se dá com as narrativas fragmentadas, de poucos caracteres, que encontramos na web. Algumas pessoas são céticas. A psicanalista Sonia Viana, leitora inveterada de livros de ficção e "dizedora de poesia", não gosta de ler na internet. "Não é tão gostoso quanto ler o objeto livro", afirma. "Por exemplo, acabei de ler o Não Há Silêncio Que Não Termine (Cia. das Letras, 2010), dafranco-colombiana Ingrid Betancourt, e não me cansei das 553 páginas." Na opinião de Sonia, a intimidade que existe entre o leitor e o livro é única, e não pode ser reproduzida pelos meios virtuais. Existe um novo leitor?
Para Rosa Gens, professora e doutora do Departamento de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Rio de Janeiro, não se pode falar mais de leitor, mas em grupos de leitura. "Com a chegada da internet, há pessoas que continuaram lendo da mesma maneira. Não há como fazer um estereótipo de leitor", diz. "Ao ler na internet, cria-se uma nova percepção do que está sendo lido numa tela que rola." Rosa diz não saber responder se essa nova forma de leitura muda a maneira de escrever. "Como professora, tudo que posso dizer é que quem lê escreve muito bem."

http://educarparacrescer.abril.com.br/leitura/livros-era-web-634956.shtml

Texto Ramon Mello

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





Clique aqui para baixar o Acrobat Reader