> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Quinta-Feira , 06 de Outubro de 2022
>> Alfabetização
   
 
Garantindo a todos o direito de aprender": uma visão sócio-construtivista da aprendizagem de linguagem escrita no ensino básico

Roxane Helena Rodrigues Rojo


As idéias de Vygotsky sobre a construção da escrita e suas implicações para a prática pedagógica são o eixo principal deste texto. Roxane Rojo trata, ainda, do papel central que a interação social assume na apropriação do conhecimento a partir da perspectiva social-construtivista.

Clique aqui para ler o texto na íntegra. Para isso você precisa ter o programa Acrobat Reader. Para instalá-lo, clique aqui.

"Claro está que o ponto zero desta reflexão, seu ponto de partida, encontra-se no valor determinante que é dado por VYGOTSKY e pelos vygotskianos à interação social - e, logo, no caso da escola, às intervenções pedagógicas e à instrução - na construção de todo e qualquer conhecimento, incluídos o uso e o conhecimento sobre a escrita."

"Talvez seja desnecessário relembrar, (...) que a marca principal, o traço diferencial da teoria vygotskiana da aprendizagem em relação a outras teorias da aprendizagem ou do desenvolvimento seja justamente a crença de que é na interação interpessoal que primeiramente se constrói o conhecimento que virá a ser intrapessoal (desenvolvimento real, autonomia, apropriação)."

"Lembremos que a questão que aqui nos ocupa, no momento, é o que, para VYGOTSKY, faz da escrita não somente uma grafia, um gesto que marca, representando um som da fala, mas, além disso, uma linguagem particular, diversa da fala e capaz de significar."

"... aprender a escrever, alfabetizar-se, é mais do que aprender a
grafar sons; ou mesmo, mais do que aprender a simbolizar graficamente um universo sonoro já por si mesmo simbólico. Aqui, aprender a escrever é aprender novos modos do discurso (gêneros); novos modos de se relacionar com interlocutores, muitas vezes, virtuais; novos modos de se relacionar com temas e significados; novos motivos para comunicar em novas situações. Aprender a
escrever é, aqui sim, construir uma nova inserção cultural."

"Assim, na construção da escrita, a criança tem muito mais a aprender do que as letras: uma infinidade de gêneros viabilizados pela escritura se abrem à criança quando ela começa a adentrar o mundo da escrita. Uns mais complexos e abstratos do que outros."


Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





 Download do      arquivo

Clique aqui para baixar o Acrobat Reader