> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Programa Sala de Leitura
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Bom dia
Quinta-Feira , 06 de Outubro de 2022
 
>> Semana da Pátria: Seqüências Didáticas

<< voltar


SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Profª Maria Carmen Caron

“Pareceu-me certo que um professor tenha uma atitude de investigador, por que isso quer dizer que é alguém que pensa e, portanto continua aprendendo. Alguém que não tem resposta para todas as perguntas, mas que é capaz de dizer há problemas, há mais para saber, isto nos coloca um desafio.”

Emília Ferreiro

 


 

 

 

TEMA:
O processo da independência do Brasil pela ótica
de José Bonifácio de Andrada e Silva.

Competências e Habilidades:

  • Criticar, analisar e interpretar fontes documentais de natureza diversa, reconhecendo o papel das diferentes linguagens, dos diferentes agentes sociais e dos diferentes contextos envolvidos em sua produção.
  • Produzir textos analíticos e interpretativos sobre os processos históricos, a partir de categorias e procedimentos próprios do discurso historiográfico.
  • Relativizar as diversas concepções de tempo e as diversas formas de periodização do tempo cronológico, reconhecendo-as como construções culturais e históricas.
  • Estabelecer relações entre continuidade / permanência e ruptura/ transformação nos processos históricos.
  • Construir a identidade pessoal e social na dimensão histórica, a partir do reconhecimento do papel do indivíduo nos processos históricos, simultaneamente, como sujeito e como produtos dos mesmos.
  • Atuar sobre os processos de construção da memória social, partindo da crítica dos diversos “lugares de memória” socialmente instituídos.
  • Situar as diversas produções da cultura – as linguagens, as artes, a filosofia, a religião, as ciências, as tecnologias e outras manifestações sociais – nos contextos históricos de sua constituição e significação.
  • Situar os momentos históricos nos diversos ritmos da duração e nas relações de sucessão e/ou de simultaneidade.
  • Comparar problemáticas atuais e de outros momentos históricos.
  • Posicionar-se diante de fatos presentes a partir da interpretação de suas relações com o passado.


Noções e conceitos :

  • Independência, tempo/espaço, permanência / mudança, ruptura, fonte histórica, fonte primária, mito, herói, dominação/resistência, poder.

Objetivos:

  • Proporcionar aos alunos momentos de reflexão crítica a partir da análise da independência do Brasil em diferentes momentos de sua história e da visão de diferentes personagens.
  • Resgatar da historiografia tradicional e da revisitada personagens que pensaram um Brasil e em especial José Bonifácio de Andrada e Silva, que a partir de documentos e estudos recentes permitem conhecer um homem de múltiplos talentos e atividades que foi “escondido” atrás do Patriarca da Independência, ou seja, um ilustre conhecido/desconhecido da nossa História.
  • Permitir ao aluno a apropriação das ferramentas do historiador/pesquisador e os fundamentos/procedimentos da pesquisa científica.
  • Promover a passagem do texto didático para os textos acadêmicos e fontes primárias em diferentes linguagens.
  • Construir com os alunos uma projeção da nação que queremos e que privilegie a nossa diversidade.

 
“Disparando” o estudo
(Problematizar, explorar, valorizar e interagir com os conhecimentos prévios dos alunos)

  • Tempestade de idéias: Independência (escrita no centro de uma folha grande de papel). Cada aluno deverá dizer a primeira palavra ou idéia que lhe ocorrer associada a palavra Independência.
  • Registrar as respostas na folha de papel.


Qual o conceito de Independência que os alunos têm?

  • Introduzir, a partir do senso comum, a definição do dicionário, enciclopédia sobre independência.
  • Ampliar o conceito do dicionário e dos alunos sobre independência, introduzindo e solicitando aos alunos que analisem o conceito de Independência política, absoluta e interdependência.
  • Socializar.
  • Registrar ao lado do que já havia sido levantado previamente com os alunos.
  • Elaborar, em grupo, um pré-conceito de independência e independência política.
  • Socializar / registrar.

Textos úteis


Formulando hipóteses

  1. O Brasil é um país independente?
  2. Por quem e como foi pensada a Independência do Brasil?
  • Discutir as duas questões a partir dos pré-conceitos elaborados e formular uma primeira resposta.
  • Socializar / registrar.

Aprofundando

  • Propor a leitura e análise de duas obras de arte pelos alunos (em grupos): “Independência ou Morte” ou “O Grito do Ipiranga” de autoria de Pedro Américo e “executado para a representação extraordinária dada no Teatro da Corte por ocasião da Pano de boca coroação de Dom Pedro I, Imperador do Brasil” de autoria de Debret.
  • Contextualizar (pelo professor) Pedro Américo e Debret.
  • Orientar os alunos, além da leitura imediata, a analisarem as cores, formas, linhas, planos, volumes, tonalidades, texturas, luzes, sombras, profundidade, perspectiva, proporções, relações, composição, simetria, equilíbrio, técnica, material.
  • Socializar e registrar.

Formulando hipóteses

  1. Quais as idéias que inspiraram o quadro O Grito do Ipiranga?
  2. Quais as idéias que inspiraram o Pano de Boca do Teatro de São João?

Leitura interpretativa: representação simbólica, significados, sentidos, valores, idéias expressas nas obras, simbologias, semelhanças e diferenças.

  • socializar e registrar.
  • ler com os alunos a descrição das duas obras, destacando as diferentes visões expressas.
  • socializar e registrar.

Textos úteis
Reproduções das obras de arte:

Biografias de Pedro Américo e Debret.


Problematização

Afinal, quem é José Bonifácio de Andrada e Silva? Patriarca de Independência, herói, mito...? Como ele pensou o “novo” Brasil?


Que materiais podem servir para responder a essa pergunta?

  • Explorar e selecionar diferentes materiais disponíveis na biblioteca (seria importante além dos textos relacionados com a disciplina de História, selecionar textos da disciplina de Filosofia sobre mito e poder ).
  • Socializar os materiais e os procedimentos usados para a escolha.

Começando a responder

  • Iniciar com os alunos a leitura e seleção dos trechos mais importantes para responder as questões colocadas.
  • Elaborar uma primeira resposta.
  • Socializar e registrar.

Será que podemos encontrar outros materiais sobre esse personagem?

  • Utilizar a sala de informática para exploração do portal do Projeto José Bonifácio - A Obra Completa. http://www.obrabonifacio.com.br
  • Selecionar entre os documentos disponíveis no site aqueles que podem ajudar nas respostas das perguntas.
  • Socializar as fontes primárias selecionadas e os procedimentos usados para a escolha.
  • Iniciar com os alunos a leitura e seleção dos trechos mais importantes para responder as questões colocadas.

Trabalhando com fontes primárias (textos mais difíceis)

  • Explicar o que são fontes primárias e como devem ser utilizadas.
  • Leitura pelos alunos de textos de fontes primárias previamente selecionadas e formulação de perguntas a serem feitas a esses textos.
  • Socializar.

O que nos contam estes textos?

  • Comparar o levantamento feito nos textos selecionados na biblioteca e nos textos do site (fontes primárias).
  • Elaborar, em grupo, síntese do que foi levantado nas pesquisas (biblioteca e site), registros e respostas elaboradas anteriormente.
  • Socializar e discutir com os alunos as sínteses elaboradas em grupo.
  • Registrar os pontos comuns e divergentes das sínteses (o registro individual ajudará na elaboração do texto dissertativo na finalização).

Textos úteis

  • Textos de Filosofia sobre mito e herói.
  • Selecionar, junto com os alunos, diretamente do site, os textos que julgarem relevantes para responder as questões.


Agora é com você professor, deixamos em aberto a escolha desses textos que deverão ser adequados ao nível de aprendizagem dos seus alunos. Todos estão convidados a completar e a socializar essa seqüência nesta Página, na Sala de Professor.

Finalização

  • Elaborar (alunos) texto dissertativo: “O Brasil pensado pelo Patriarca da Independência e o Brasil pensado pelos alunos”.
  • Montar um “quadro vivo” representando a independência, a partir da visão de José Bonifácio e a construída pelos alunos durante o processo.
     

Avaliação

Deve permitir traçar o caminho efetuado pelos alunos durante o processo: inicia-se quando discutimos a tarefa e como realizá-la, promovendo atividades colaborativas e em grupo, concretiza-se nos registros e na devolutiva para os alunos. Para sua concretização é necessário:

  • Utilizar formas de registro diárias como diário de bordo, fichas de registro individual e em grupo que mostram o ponto de partida, o roteiro e o ponto de chegada de cada aluno.
  • Observar atentamente cada aluno durante as atividades, identificando os avanços e as dificuldades que persistem
  • Dialogar com os alunos: discussão das tarefas, devolutiva das atividades para refacção, o que gostaram, o que aprenderam.
  • Auto-avaliação feita pelos alunos.
  • Ler atentamente as produções dos alunos em diferentes linguagens (possibilitando que cada um use diferentes formas de expressão).

  Para saber mais
Livros e artigos de revistas

ARANHA, M. L. de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à Filosofia. 3. ed. rev. São Paulo : Moderna, 2003.

BATISTA, Vera Malaguti. O lugar e o medo: ordem e segurança no Rio de Janeiro. Palestra proferida no 1º Congresso de Gestão Política Municipal – Fundação João Goulart, da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, em março de 2004.
Disponível em:
http://www.pdt-rj.org.br/colunistas.asp?id=40
Acesso em 29 ago. 2006

BELUZZO, A. M. de M. O Brasil dos viajantes. São Paulo : Fundação Odebrecht, 1999. v.2, p. 84.

BRASIL. MEC. SEMTEC. Ciências Humanas e suas tecnologias.
Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/cienciah.pdf
Acesso em 29 ago. 2006.

BRASIL. MEC. SEMTEC. PCN+ Ensino Médio: Orientações Educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais.
Disponível em:
http://cenp.edunet.sp.gov.br/Ens_medio/em_pcn.htm
Acesso em 29 ago. 2006.

CARVALHO, José Murilo de. Os esplendores da imortalidade.
Disponível em:
http://www1.folha.uol.com.br/fol/brasil500/dc_6_2.htm
Acesso em 29 ago. 2006

DEBRET, Jean-Baptiste Viagem pitoresca e histórica ao Brasil. São Paulo : Martins; Brasília : INL, 1975.

DIAS, Elaine. Pano de boca para a coroação de D. Pedro I, de Jean-Baptiste Debret. Nossa História, Rio de Janeiro, v. 1, n. 11, p. 24-27, set. 2004.

DOSSIÊ Bonifácio. História Viva, São Paulo, v. 3, n. 31 , p. 42-65, maio 2006.

GENTILE, Paola; BENCINI, Roberta. Construindo competências: entrevista com Philippe Perrenoud. Disponível em:
http://www.unige.ch/fapse/SSE/teachers/
perrenoud/php_main/php_2000/2000_31.html.
Acesso em 29 ago. 2006

GENTILE, Paola; BENCINI, Roberta. Para aprender (e desenvolver) competências.
Disponível em:
http://novaescola.abril.com.br/ed/135_set00/html/repcapa.htm.
Acesso em 29 ago. 2006.

KRAAY, Hendrik. Um dia que entrou para a história. Nossa História, Rio de Janeiro, v. 1, n. 11, p. 20-23, set. 2004.

AS MUITAS Independências. Nossa História, Rio de Janeiro, v. 1, n. 11, p. 14-19, set. 2004.

PERRENOUD, Philippe. Construindo competências desde a escola. Porto Alegre : Artmed, 1999.

PERRENOUD, Philippe. Dez novas competências para ensinar . Porto Alegre : Artmed, 2000.

SÃO PAULO (Estado) Secretaria da Educação. Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas. Oficina: Orientação para Estudo e Pesquisa. Disponível em
http://cenp.edunet.sp.gov.br/escola_integral/novo/
arquivos/Caderno%20ETI%20CENP%20OpESP1.pdf

Acesso em 29 ago. 2006.

SILVA, José Bonifácio de Andrada e. Projetos para o Brasil. Organização de M. Dolhnikoff. São Paulo : Companhia das Letras, Publifolha, 2000. (Grandes nomes do pensamento brasileiro)


Site

Site do Projeto: José Bonifácio – A obra completa
http://www.obrabonifacio.com.br