> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Café Cultural
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa noite
Sexta-Feira , 31 de Outubro de 2014
>> Ambientes de Aprendizagem
   
 
Fracasso escolar: mito e realidade

Anna Maria Bianchini Baeta


Neste texto, Anna Maria Baeta apresenta uma síntese do conhecimento científico sobre o fracasso escolar, abordando especialmente o mito da "criança carente".
A autora contesta o uso da "carência" como uma forma de explicar por que algumas crianças, especificamente, as pobres, têm mais dificuldades em aprendizagem.
Por fim, a autora faz duas sugestões sobre como adequar o ensino às características dos alunos: o erro construtivo e a Zona de Desenvolvimento Proximal.

Clique aqui para ler o texto na íntegra. Para isso você precisa ter o programa Acrobat Reader. Para instalá-lo, clique aqui.

"Para nos desvencilharmos do mito da criança carente que não aprende e atuarmos em bases mais realistas, faz-se necessário problematizar e questionar o que entendemos por carência e quais as suas implicações na produção e superação do fracasso escolar."

"Conhecer esta realidade [condições materiais, concretas, de vida da maioria das crianças que freqüentam a Escola Pública [que] são de fato extremamente precárias] deve ser ponto de partida para adequar a prática pedagógica às crianças que nela estão inseridas, e não como vem sendo feito, usar este conhecimento como álibi para eximir a escola de seu papel na produção do fracasso escolar."

"Será que não nos vemos de forma enaltecida enquanto detentores do saber elaborado ? Será que não nos engrandecemos na medida em que nos dispomos a transmitir esse saber, depreciando os alunos e suas famílias por não aproveitarem esse nosso esforço ?
Não será esta uma das formas de explicar o fracasso escolar quando este é atribuído ao mito da carência dos alunos ?"

"... hoje temos consciência, porque inúmeras experiências apontam neste sentido, que os alunos "carentes", tanto crianças como adultos, são capazes de aprender."

"Não podemos, no entanto, transformar esta afirmação - toda criança tem capacidade de aprender - em algo vazio de conteúdo prático, correndo o risco de criarmos um novo mito que se mostrará frustrado e frustrante."

Publicação: Série Idéias n. 6. São Paulo: FDE, 1992.
Páginas: 17- 23

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





 Download do      arquivo

Clique aqui para baixar o Acrobat Reader

 Ajudando a desmistificar o fracasso escolar
 Zona de Desenvolvimento Proximal

 Erro construtivo
 PATTO, Maria Helena Souza