> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Café Cultural
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa noite
Sexta-Feira , 28 de Novembro de 2014
 
>> Direção e Coordenação

Esta seção traz artigos e links que tratam do papel desempenhado por diretores e coordenadores na organização do trabalho escolar, assim como os desafios por eles enfrentados na gestão da escola. Segundo as Normas Regimentais Básicas para as Escolas Estaduais da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, o "núcleo de direção da escola é o centro executivo de planejamento, organização, coordenação, avaliação e integração de todas as atividades desenvolvidas no âmbito da unidade escolar". Também estão disponíveis artigos comentados que poderão enriquecer a sua reflexão a respeito dessas questões.

   Artigos

A qualidade do sistema de ensino e a autonomia da escola. Rose Neubauer. Série Idéias n. 16, São Paulo: FDE, 1993. p. 19-27.

Uma inter-relação: políticas públicas, gestão democrático-participativa na escola pública e formação de equipe escolar. Katia Siqueira de Freitas. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p.47-59.

Diretores de escola: o desacerto com a democracia. Artemis Torres e Lindalva Maria N. Garske. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 60-70.

A relação entre política pública de reforma educacional e a gestão do cotidiano escolar. Marisa Schneckenberg. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 113-124.

Organizações escolares: cultura, missão, mudança, estratégia, equipe e liderança. Boudewijn A. M. Van velzen. Mudar para melhor: pequenos passos rumo ao êxito para todos, São Paulo: SE/APS, 1997. p. 32-37.

Administração educacional e escolar. José Mizael Ferreira do Vale. Série Idéias n. 16, São Paulo: FDE, 1993. p. 107-113.

Relações de trabalho e teorias administrativas. Lúcia E. N. Barreto. Série Idéias n. 16, São Paulo: FDE, 1993. p. 125-139.

A escola e seu diretor: algumas reflexões. Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima. Série Idéias n. 12, São Paulo: FDE, 1992. p. 117-124.

A organização do trabalho como fundamento da administração escolar: uma contribuição ao debate sobre a gestão democrática da escola. Romualdo Portella de Oliveira. Série Idéias n. 16, São Paulo: FDE, 1993. p. 114-124.

Autonomia da escola e democratização de sua gestão: novas demandas para o gestor. Lauro Carlos Wittmann. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 88-96.

Diretor / dirigente: a construção de um projeto pedagógico na escola pública. Madza Julita Nogueira. Série Idéias n. 15, São Paulo: FDE, 1992. p. 57-67.

Mapeamento de estruturas de gestão colegiada em escolas dos sistemas estaduais de ensino. Marta Maria de A. Parente e Heloísa Lück. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 156-162.

O planejamento como instrumento de gestão educacional: uma análise histórico-filosófica. Maria Amélia Sabbag Zainko. Em Aberto n.72, Brasília: MEC/INEP, 2000.p.125-140.

O planejamento do trabalho pedagógico: algumas indagações e tentativas de respostas . José Cerchi Fusari. Série Idéias n. 8. São Paulo: FDE, 1998. p.44-53.

Planejamento e avaliação na escola: articulação e necessária determinação ideológica. Cipriano Carlos Luckesi. Série Idéias n. 15, São Paulo: FDE, 1992. p. 115-125..

O papel do diretor de pré-escola. Waldemar Marques. Série Idéias n. 14, São Paulo: FDE, 1992. p. 15-21.

Ação/reflexão/diálogo: o caminhar transformador. Helenice Maria Sbrogio Muramoto. Série Idéias n.24, São Paulo: FDE, 1994. p.133-142.

Alternativas para a organização do trabalho de supervisão. Helenice Maria Sbrogio Muramoto. Série Idéias n. 16, São Paulo: FDE, 1993. p. 145-150.

Uma reflexão conjunta sobre o cotidiano da escola de 1º grau. Elaine Maria Salies Landell de Moura. Série Idéias n. 8, São Paulo: FDE, 1998. p. 25-31.

Quando o ambiente de trabalho prejudica o desenvolvimento profissional do professor.Robert Mioch. Mudar para melhor: pequenos passos rumo ao êxito para todos, São Paulo: SE/APS, 1997. p. 24-43.

Como aperfeiçoar as escolas para que mais alunos aprendam mais. Boudewijn A. M. van Velzen. Mudar para melhor: pequenos passos rumo ao êxito para todos, São Paulo: SE/APS, 1997. p. 1-7.

Diagnóstico dos problemas escolares. Cartas aos professores coordenadores pedagógicos: dilemas da prática cotidiana, São Paulo: SE/CENP, 1999, p.15-26.

Como transformar a rotina em desafio? Eny Maia. Acesso: revista de educação e informática, n. 14, São Paulo: FDE, dez. 2000. p. 19-28.

Hora de trabalho pedagógico coletivo (HTPC).Cartas aos professores coordenadores pedagógicos: dilemas da prática cotidiana, São Paulo: SE/CENP,1999. p.51-62.

A gestão da escola básica: conhecimento e reflexão sobre a prática cotidiana da diretora de escola municipal. Marta Luz Sisson de Castro. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 71-87.

Participação: exigências para a qualificação do gestor e processo permanente de atualização. Antonio Elizio Pazeto. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 163-166.

Perspectivas da gestão escolar e implicações quanto à formação de seus gestores. Heloísa Lück. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p.11-33.

Desafios a serem enfrentados na capacitação de gestores escolares. Maria Aglaê de Medeiros Machado. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 97-112.

Gestão escolar e formação de diretores: a experiência do Ceará. Antenor Manoel Naspolini. Em aberto n. 72, Brasília: MEC/INEP, 2000. p. 141-145.