> Sistema Documentação
> Memorial da Educação
> Temas Educacionais
> Temas Pedagógicos
> Recursos de Ensino
> Notícias por Temas
> Agenda
> Café Cultural
> Publicações Online
> Concursos & Prêmios
> Diário Oficial
> Fundação Mario Covas
Boa tarde
Terça-Feira , 25 de Novembro de 2014
>> Desenvolvimento e Aprendizagem
   
 
As interações sociais na perspectiva piagetiana

Luci Banks Leite


Costumamos ouvir falar que Piaget, na elaboração de sua teoria, teria negligenciado o aspecto social do desenvolvimento cognitivo da criança. Partindo dessa questão, a autora propõe alguns conceitos presentes no quadro teórico da perspectiva piagetiana para entender melhor como são tratados esses aspectos sociais. Para isso, ela parte dos conceitos de egocentrismo e de equilibração.

A autora também discute o papel do aluno e do professor no processo de ensino-aprendizagem. Aproveite esse texto para entender um pouco mais sobre alguns conceitos desse importante autor, que tanto tem influenciado nossas concepções em educação.

Clique aqui para ler o texto na íntegra. Para isso você precisa ter o programa Acrobat Reader. Para instalá-lo, clique aqui.

"É comum a afirmação de que PIAGET e os pesquisadores que colaboraram com seus trabalhos não se preocuparam com os aspectos sociais envolvidos no desenvolvimento cognitivo da criança. Nesse sentido, a teoria piagetiana é apontada por muitos como tendo deixado de lado uma questão considerada primordial, e que seria salientada por outras correntes teóricas como a de VYGOTSKY , por exemplo. Daí ser o termo socioconstrutivista utilizado, pelo menos em nosso meio, em referência aos trabalhos que se inspiram, por exemplo, na corrente da Psicologia soviética, e reservar-se com mais freqüência o termo construtivismo para os trabalhos de PIAGET e seus colaboradores."

"...os fatores sociais não são preponderantes, nem atuam de forma isolada. As interações sociais não são em si mesmas geradoras de novos sistemas ou formas de conhecimento, mas podem suscitar certas situações de conflito que, por sua vez, podem dar lugar a novas estruturações cognitivas. É nesse sentido que as interações sociais não são constitutivas em si mesmas, mas constitutivas do processo de equilibração."

"O aspecto construtivista no quadro da teoria de PIAGET está direta e necessariamente ligado à atividade do sujeito.(...) Falar em atividade do sujeito remete a um outro postulado de base do construtivismo, que considera o conhecimento não como uma simples cópia ou uma absorção do real, mas como uma reelaboração.(...) O conhecimento se constrói através das interações sujeito-objeto."

"Num enfoque construtivista, em que se atribui ao sujeito um papel ativo, o aluno é responsável por seu próprio processo de aprendizagem. (...) Cabe ao professor criar situações, implementar condições para que se desenrole o processo de construção."

"... parece difícil (para não dizer impossível) ser construtivista sem pensar nos aspectos sociais envolvidos na construção de conhecimentos. Na medida em que o construtivismo está intimamente ligado ao interacionismo, e que os mecanismos de equilibração têm um caráter não apenas individual, mas também social, não pode haver um ´construtivismo´ puro, pois este é intrinsecamente social."

Publicação: Série Idéias n. 20. São Paulo: FDE, 1994.
Páginas: 41 a 47

Para mais informações clique em AJUDA no menu.

 





 Download do      arquivo

Clique aqui para baixar o Acrobat Reader

 A Perspectiva de Jean Piaget

 A Dimensão Ética na Obra de Jean Piaget.

 O Desenvolvimento da Moralidade na Teoria de Jean Piaget.
 PALANGANA, I. C.

 PIAGET, J.
 Jean Piaget

 L. S. Vygotsky